LIDERANÇA E ESPIRITUALIDADE

Guilherme Gimenez: Pastor, Professor, Teólogo e Maratonista

Page 2 of 8

Pensamentos Rápidos: Recomeçar é difícil, mas possível

Essa semana eu comecei a correr em velocidade e ritmo bem baixos, como um iniciante. E o pensamento que ocupou minha mente é que os recomeços são difíceis, porém possíveis. Recomeçar é uma experiência que também nos ensina sobre o perigo de desistirmos de algo ou de abandonarmos aquilo que depois será bem difícil retomar.

Pensamentos Rápidos com Guilherme Gimenez
9+

Mensagem: “Não Saber Esperar Pode Acabar com o Amor”

Esperar é um desafio para todos nós, principalmente quando somos tomados por uma angústia por termos que aguardar aquilo que para nós já deveria ter acontecido. Hoje a mensagem da Série História de Amor trata exatamente disso. Preguei essa mensagem no dia 04 de agosto de 2019 às 18:00 horas na Igreja Batista Betel.

Não Saber Esperar Pode Acabar com o Amor
7+

QUANDO O PEQUENO SE TORNA GRANDE DEMAIS

“Não nos deixemos perturbar por ninharias, que devemos desprezar e esquecer. Lembre-se: a vida é muito curta para sermos mesquinhos”. (Dale Carnegie)

“Ele passou por mim e não me cumprimentou”

“Ela não retornou aquela ligação”

“Eles não me deram atenção naquele episódio”

Por trás de cada frase um pequeno gesto e um grande sentimento. Grandes mágoas são originadas muitas vezes por pequenas atitudes. Quem faz – ou deixa de fazer – às vezes nem percebe o quanto o outro ficou triste, sentido, magoado ou furioso. E às vezes nem ficará sabendo que o motivo do afastamento do outro foi exatamente aquela pequena coisa. É claro que todos nós precisamos estar atentos aos pequenos detalhes no sentido de não querermos magoar o outro. Mas, também precisamos ser maduros para não transformar a pequena coisa em algo muito maior do que de fato é. As coisas nem sempre são grandes, mas se tornam grandes: tudo depende de como a recebemos e do investimento de sentimentos que damos a elas.

Pequenas coisas são capazes de nos perturbar, nos inquietar e até nos paralisar. Lembramos de algo pequeno com uma grandeza tal que somos capazes de viver amargurados por um longo período. E o pior é que a atenção que damos às pequenas coisas por vezes passa despercebida por aquele que cometeu o pequeno gesto, e nem sabe o quanto aquilo nos perturbou. Deixamos de viver a vida em sua grandeza porque elegemos algo pequeno para interromper nossos sonhos e planos de futuro.

O pequeno gesto destrutivo deveria ser amenizado e esquecido e não fortalecido e aumentado. Mas nossos sentimentos não são automáticos e nem fáceis de lidar, não é mesmo? Não queremos que uma pequena coisa nos destrua, mas ficamos tão chateados com aquilo que permitimos que tal fato aconteça. O que fazer para não permitir que o pequeno se torne grande? A resposta não é pronta, cada um deverá usar sua estratégia pessoal, mas em todos os casos precisaremos aprender a não valorizar tanto o pequeno mal, mantendo-nos firmes em nossos sonhos e planos, e dando a eles a grandeza que fará o pequeno mal praticamente desaparecer.

Não aumente o pequeno mal. Não potencialize o pequeno gesto desagradável. Não eleja o pequeno problema como o maior evento dos últimos tempos. “Invista seus sentimentos no que é verdadeiro, nobre e direito. Pense em coisas que sejam puras e agradáveis e detenha-se nas coisas excelentes” (Filipenses 4:8 – Biblia Viva).

12+

Pensamentos Rápidos: Gratidão

Esta é a quarta semana pós cirurgia e cada vez me sinto melhor. Hoje fui caminhar e fui preenchido por um sentimento de gratidão! Deus é bom e muitas pessoas também são! Ser e estar grato é uma grande necessidade!

Gratidão!
4+

Seu olhar faz a diferença

6+

ATAQUES DE ÓDIO

Por Guilherme Gimenez

“Equilíbrio emocional deve ser um hábito! Devemos exercitá-lo sempre. Uma boa atitude para evitar o descontrole e a discussão desenfreada é atacar apenas o problema, e não as pessoas envolvidas nele” (Vargas, Rodrigo. 52 Bons Hábitos de Gestão, Liderança e Relações Humanas . Edição do Autor. Edição do Kindle.)

Já vi muitas pessoas sendo atacadas verbalmente e até fisicamente. Uma das cenas que não sai de minha cabeça aconteceu na Marginal do Rio Tietê. Era uma sexta-feira, trânsito caótico, e bem na minha frente um homem saiu de seu automóvel com um porrete na mão. Ele se dirigia ao carro da frente. Muitas pessoas, inclusive eu, saímos do carro para tentar impedir o que para nós estava evidente: uma briga de trânsito estava prestes a começar. Mas, parar uma pessoa com um porrete na mão não é coisa muito fácil. Não tivemos êxito nas tentativas de acalmar o homem que com aquele porrete começou a quebrar os vidros do carro da frente, amassar a lataria e ameaçar o motorista que de cabeça baixa, com as portas trancadas, não ousou olhar para o agressor. Os palavrões ditos pelo homem foram tão violentos quanto suas ações que duraram alguns minutos que mais pareciam horas. Ele voltou para seu carro, saiu buzinando, e desapareceu logo mais à frente. Fomos socorrer o motorista agredido que em choque dizia que não entendia o que havia acontecido. “Eu não tinha como dar passagem para ele” – foi a frase que repetiu algumas vezes. Depois de tranquilizá-lo e ver que seu carro funcionava, apesar dos danos, eu e outros motoristas voltamos para nossos automóveis e seguimos viagem. Mas a imagem daquele ataque feroz nunca saiu de minha mente. Não apenas pela violência do ato, mas muito mais pelo descontrole daquele homem que despejou toda sua ira por estar preso no trânsito sobre outra pessoa que estava na mesma situação que ele. Pela televisão de vez em quando aparecem casos semelhantes. E outros, ainda que diferentes, revelam o mesmo desequilíbrio emocional. Pessoas vivenciando situações estressantes ou diante de um problema despejam sobre algum que está por perto toda sua ira, descontentamento, ódio e outros sentimentos destrutivos. E, o pior, é que de vez em quando alguém morre nas mãos de um descontrolado que não consegue administrar seus sentimentos.
Talvez a única solução para não realizarmos ataques dessa natureza é aprendermos a lidar com nossas frustrações e, mais do que isso, lembrarmos que o nosso foco sempre deverá ser o problema e não as pessoas eventualmente envolvidas nele. Ficar furioso com o trânsito é até compreensível. Despejar todo o ódio com isso sobre o motorista da frente é uma estupidez. E vale a pena lembrar que em alguns momentos não conseguiremos sequer manifestar nosso descontentamento pois ele não encontrará um culpado. Isso mesmo, algumas situações acontecem em decorrência de uma série de fatores, às vezes uma conjugação deles. Dessa forma a única alternativa que temos é nos controlarmos, exercitarmos o domínio próprio e resistirmos à vontade de atacar alguém para aliviar nosso sofrimento interno diante de situações que nos incomodam. Atacar para se sentir melhor não combina bem com inteligência, civilidade, boa educação, respeito ao próximo e outros elementos que por si só já nos desafiam a mantermos a calma e, se conseguirmos, manifestar nosso descontentamento da forma mais eficaz possível que com certeza não será com violência, seja física ou verbal. Equilíbrio emocional é a palavra-chave. Exercitemos sempre e viveremos bem melhor.

Guilherme de Amorim Ávilla Gimenez
prgimenez@prgimenez.net
www.prgimenez.net

4+

OLHARES TRANSFORMADORES

Preguei essa mensagem no dia 28/07/2019 na Igreja Batista Betel no culto das 18:00 horas. Nós podemos olhar para um fato com ou sem esperança, com ou sem fé. E dependendo desse olhar, veremos coisas totalmente diferentes. Devemos olhar para as situações pela ótica de Jesus Cristo. Verdadeiros milagres acontecem quando simplesmente mudamos o nosso olhar.

Olhares Transformadores
2+

7 Diferentes tipos de treino para corrida (Em inglês por Emily Trinh)

7 DIFFERENT TYPES OF RUNNING WORKOUTS!


APRIL 9, 2018|IN BLOG, RUNNING|BY EMILY TRINH 

What type of running training do you do when you say, “you’re going for a run?” Most people tend to stick to their usual route, pace, and distance. However, this means that you are missing out on different types of running exercises that you can do that will mix things up while giving you great benefits. So, here we run (pun intended) you through some alternate running exercises that you can try. 

Try these different types of running workouts! 
1. Base Run 
In a base run, you run at your natural pace to build up aerobic capacity. Base runs are what usually makes up the brunt of your running training and because it shouldn’t be too challenging, they can be done quite often. 

2. Progression Run 
A bit more difficult than the base run, this type of training means that you run at your natural pace but finish it at a faster rate. So you gradually become faster as you keep going. 

This is a moderately-challenging workout that will help improve your running stamina. It’s great if you’re looking for something more difficult than the base run but not as intense as other different types of running. 

3. Fartlek 
Don’t forget that running doesn’t need to be all about serious hard work—it should be fun as well! Fartlek is a fun running exercise that you may have already done before. It is similar to interval training but in a less-structured way and not as intense. 

It is when you push yourself to keep going until you hit that street sign, or maybe that tree up ahead. Then, you slow down to recover before speeding up until you reach the red car parked at the end of the street! Fartlek is Swedish for ‘speed play’, so play around with your running and have some fun with it. 

4. Interval Training 
Interval runs with a mixture of low-moderate and high-intensity runs. You’ll do short bursts of fast runs where you put in more effort, followed by longer periods of jogging and less intense running. Interval training means that you will alternate between the two. 

The intense interval is where you really push yourself, counting down the seconds until you hit the lighter intervals where the moderate intensity means you can take a break, without stopping. 

5. Sprints 
Whether you are a sprinter or long distance runner, sprinting is beneficial for everyone. Sprinting helps to build up muscular strength, and power so that you can actually run faster. And if you think that as a long-distance runner sprinting won’t help you, think again. Sprints actually help you run for longer. It conditions your body to be able to run for more distance without fatiguing as quickly. 

6. Hill Repeats 
Don’t just limit yourself to the flat ground that only has a couple of slight hills along the route. Try hill repeats. Find a big hill (no cheating!), where it is a struggle to run up from the bottom. 

Start from the bottom of the hill, choose a destination point at the top of the hill and sprint up the hill to get there as fast as you can. Jog back to your starting point, and repeat! 

The distance will be much shorter than your usual run, but the high-intensity sprint, as well as the steep incline, will make this very challenging. But worth it! 

By incorporating hill repeats into your training, you’ll find that you will build up endurance and won’t feel as fatigued as quickly. 

7. Tempo Run 
Different types of running include tempo runs. Tempo run refers to a “comfortably hard” pace that you can maintain for a long period of time, such as in a marathon. 

Basically, when you run, your muscles build up lactic acid, a metabolic byproduct that causes them to fatigue. The intention of a tempo run is to increase your threshold so that your muscles don’t fatigue as fast so you can keep running for longer. 

This is why tempo runs are especially beneficial for marathoners.

Extraído de sträva.com
0

Segunda Semana de Cirurgia

Preparação para a Mizuno Uphill 2019…

Hoje é 19 de Julho de 2019. Acabo de voltar de uma consulta com meu médico cirurgião. Graças a Deus minha recuperação está indo muito bem, cicatrização externa perfeita e interna aparentemente vai indo muito bem. A partir do próximo dia 23 de Julho começo lentamente com meu retorno ás atividades. Diminuirei o expediente mas nada de dirigir, pegar peso, agachar, subir escadas ou CORRER!!!! A notícia boa é que poderei começar a fazer caminhadas um pouco mais longas… e daqui há uma semana se tudo estiver bem começo a fazer trotes bem leves… obrigado pelo carinho e orações. Será que conseguirei participar da MIZUNO UPHILL MARATHON? Ainda é uma incógnita…

Segunda semana pós cirurgia…
0

Primeira Semana de Cirurgia…

Primeira Semana de Cirurgia… (Preparação para a Mizuno Uphill 2019)

Hoje é 12/julho/2019 e completo minha primeira semana da cirurgia das duas hérnias inguinais. Graças a Deus a cirurgia deu certo, tudo ocorreu dentro do esperado. Porém o pós operatório é bem pior do que eu esperava… Os primeiros dias são terríveis, dor para sentar, levantar, deitar… Dor no abdomen e barriga… hoje as dores diminuiram bastante mas ainda as sinto. Tenho mais uma semana de repouso total pela frente. E vamos em frente, será que eu conseguirei correr a Mizuno Uphill Marathon?

0
« Older posts Newer posts »