Por Guilherme de Amorim Ávilla Gimenez

Em um mesmo dia podemos ouvir várias opiniões diferentes a respeito de um mesmo assunto. Pessoas dizem que nossa ideia dará certo enquanto outras dizem que é melhor desistir pois o fracasso é certo. Alguns dirão que estamos no caminho certo enquanto outros nos incentivarão a desistir. E diante de tantas opiniões contraditórias, a grande questão é: a quem ouviremos? Quem está certo? Já que precisaremos escolher as pessoas a quem ouviremos, que tal estabelecer alguns critérios que poderão nos ajudar a ouvir as pessoas certas? O primeiro critério a ser analisado é se a pessoa a quem ouvimos tem experiência no tipo de assunto que estão opinando. Se não tem experiência, então, talvez não tenham noção de todos os elementos que precisam ser ponderados em relação ao assunto. Analise o perfil da pessoa: ela é só razão ou só emoção? Pessoas polarizadas entre mente ou coração não são completas em sua análise. Busque por pessoas que transitem entre a razão e emoção e que ofereçam uma posição ponderada sobre o assunto. Aproveite e descubra se a pessoa tem algum interesse no assunto que está sendo analisado. E, se tem, qual é o interesse? Sua derrota pode significar a vitória dela? Esse tipo de interesse, por exemplo, a inviabiliza a ajudar você. Tente também analisar se a pessoa tem uma argumentação coerente, forte e abrangente.  Se ela apenas ‘acha’ e não tem qualquer força de argumento, então ouvi-la não é imprescindível, afinal, todo mundo tem seus ‘achismos.’ Força de argumento é sempre importante para quem deseja ser ouvido. Verifique também a maturidade da pessoa em outras áreas, não necessariamente ligadas ao assunto. A pessoa madura demonstra equilíbrio na vida. Isso a qualifica para emitir opiniões mais sólidas sobre diversos assuntos. É importante também analisar o quanto a pessoa está atualizada na área em que seu conselho é exigido. Ele acompanha o desenvolvimento de tal assunto no decorrer dos anos? Talvez a visão que ela tenha seja de algumas décadas atrás, o que imediatamente transforma sua opinião em obsoleta. Se ela está atualizada, então poderá opinar hoje de maneira até diferente do modo como opinou há tempos atrás.

Ouvir a pessoa certa é nosso interesse. Então, estabelecer critérios para definir quem é essa – ou essas – pessoa é muito importante. Não se apresse em ouvir e muito menos em fazer o que as pessoas dizem ser o melhor. Primeiro analise a condição que a pessoa tem para ouvir e aí, sendo ela uma pessoa cuja opinião vale a pena ser ouvida, então dedique tempo, ouça-a adequadamente, e tome sua decisão em seguir ou não os conselhos dados. Lembre-se: “Não havendo sábios conselhos, o povo cai, mas na multidão de conselhos há segurança”. Conselhos sábios é o que precisamos, vários deles, mas todos sábios.

11+