LIDERANÇA E ESPIRITUALIDADE

Guilherme Gimenez: Pastor, Professor, Teólogo e Maratonista

Mês: junho 2019

O AMOR QUE SUPERA AS DIFERENÇAS (parte 2)

O relacionamento entre Moisés e Jetro só foi possível porque ambos souberam superar as diferenças. Eles eram diferentes na cultura, religiosidade, experiência famliar e até mesmo na visão da vida. Mas, através do amor que é visto no modo como se trataram, respeitando as diferenças, vemos que o amor é vencedor sobre as diferenças e permite a unidade. Um sacerdote se torna sogro de um fugitivo: grandes diferenças vencidas pelo amor.

10+

ADAPTAÇÕES NECESSÁRIAS, FÁCEIS E DIFÍCEIS

Conversando com um amigo há algum tempo atrás ele me disse que não tomava mais refrigerante e não sentia falta alguma. Eu lhe respondi que também não tomava mais refrigerante há vários anos, mas, eu sentia falta. Não sempre, mas de vez em quando. Ele então me respondeu que chegaria o momento em que eu não sentiria mais falta também. E isso de fato ocorreu. Em dezembro de 2018 completei 4 anos sem beber refrigerante, não sinto nem um pouquinho de vontade de beber. É incrível como aquilo que começa como uma disciplina difícil depois de algum tempo se torna uma rotina. E sobre isso podemos analisar vários aspectos da vida. Nos disciplinamos para algo e daqui a algum tempo nos acostumamos de tal forma que não precisamos mais nos esforçar para fazer ou deixar de fazer. É claro que existem algumas coisas que fogem à regra, como substâncias viciantes ou comportamentos psicóticos, mas vamos nos ater apenas às coisas comuns da vida, partindo do exemplo do refrigerante. 

Em um ambiente de trabalho alguns comportamentos começam como um esforço dificílimo e demoramos semanas para incorpora-los a nossa rotina. Há os que demoram meses, pois são de alguma forma contrários à nossa natureza e forma de ver a vida. Há também os que não fazem parte de nosso conhecimento, precisamos estuda-los, compreende-los e isso leva tempo. E há também os que não aprovamos, por mais que estejam certos, mas não para nós. Preferiríamos outros comportamentos, outras ideias, outras estratégias. Então, para serem incorporados à nossa rotina, se tornam um desafio de disciplina, de aceitação e até de humildade: fazer o que não queremos fazer, mas temos que fazer. 

A disciplina leve ou dificílima gera adaptações. E essas depois de algum tempo se transformam em rotinas que fazemos sem perceber. Mas há um detalhe aqui: não nos acostumamos para sempre. Quantas e quantas vezes passaremos pelo processo de adaptação e em alguns casos antes de conclui-lo teremos que iniciar outros processos. Duas lições básicas aqui: A primeira é a dinâmica e diversidade da adaptação. Para algumas coisas mais fácil, para outras mais difícil. Em alguns momentos demorada e em outros rápida. A diversidade da adaptação deve ser respeitada em nós e nos outros. Cada um tem o seu tempo, e, portanto, um processo de adaptação. A segunda lição é a da constante mudança e constante necessidade de disciplina. É necessária alguma nova adaptação? Então iniciemos o processo, seja rápido ou demorado. Não cabe a nós rejeitarmos o novo desafio porque já nos acostumamos ao antigo. Ou reagirmos com má vontade só de imaginarmos o quanto será difícil passar por mais um processo de adaptação. Ou até mesmo julgarmos os que tem mais dificuldade que nós em algum processo de adaptação. Adaptações são necessárias, tanto as fáceis como as difíceis. Exigirão nossa disciplina. E ao mesmo tempo nossa conscientização de que tendo nos adaptado a algo ainda teremos que fazer novas adaptações e manter a disciplina em muitas outras situações que estarão ao nosso redor.

2+

O AMOR QUE SUPERA AS DIFERENÇAS

A história de Moisés começa com um exemplo nítido do amor que supera as diferenças. A filha do Faraó adota um bebê filho de escravos. Ela protege um bebê desconhecido e oferece a ele uma chance de ter um futuro. Tudo isso acontece por causa do amor. De certo modo ela representa o amor de Deus que nos aceita e nos adota como filhos interferindo diretamente em nosso futuro. O Deus santo se aproxima do ser humano pecador movido por amor. O amor é poderoso para superar as diferenças, unir os diferentes, criar pontes em vez de muros.

4+

Pensamentos Rápidos: Deixe Suas Preocupações Pelo Caminho

Todos nós temos várias preocupações na vida e por vezes elas se tornam obstáculos para seguirmos em frente, avançando para o futuro. Devemos aprender a deixar pelo caminho as preocupações, sem isso não conseguiremos avançar.

Assista o vídeo e se gostar, deixe seu like e assine o canal!

Deixe suas preocupações pelo caminho…
17+

Sentimentos de Época

Por Guilherme de Amorim Ávilla Gimenez

Acabo de saber que mais um jovem se suicidou aos 32 anos. Do meu círculo de convivência esse é o segundo em uma semana, número alarmante em minha opinião. Nos dois casos a causa provável foi a depressão. Fui ler a respeito e me deparei com um artigo interessante do psicanalista Eduardo Silva onde sem rodeios ele diz que a depressão está ligada à época, ao nosso tempo. Ele defende sua ideia mostrando alguns fatores vinculados ao tipo de sofrimento emocional em determinada geração. Diz ele que “hoje não sofremos como há cem anos, por exemplo, a realidade, os problemas e preocupações eram outras. Nesse momento em que alguns chamam de pós-modernidade, hipermodernidade, modernidade líquida etc., vivemos uma realidade que nos afeta a todos, mas de forma singular” (Site Gospel Mais. Acessado em 03 de junho de 2019). Acredito que de fato os sentimentos são afetados pela época em que vivemos. Se fosse resumir a principal marca de nossa época diria que é o egoísmo que aparece nas suas mais diversas formas como narcisismo, individualismo, orgulho, vaidade e por aí vai. A grande maioria dos sentimentos que acabam se transformando em depressão partem de pessoas que só pensam em si mesmas e quando sua autoimagem é de alguma forma afetada, elas não suportam a pressão e se não forem bem assessoradas podem realmente cometer atos que colocam em risco a própria vida. José Roberto Marques, articulista do Portal IBC, fala de uma geração fraca emocionalmente, que se abala facilmente e não consegue se manter firme diante de situações comuns dos relacionamentos humanos como uma opinião diferente ou crítica (Site do IBC Coaching. Acessado em 05 de junho de 2019). Percebemos isso com facilidade quando alguém perde o controle simplesmente porque sua ideia não foi reconhecida como “a melhor de todas” ou porque não recebeu um elogio suficiente forte, principalmente nas redes sociais. Aliás, alguns casos de suicídio estão associados diretamente ao Facebook, Twitter e Instagram. Ter a imagem de alguma forma negativada pode se transformar em um sofrimento capaz de levar alguém à depressão. Se for um sentimento de época, irá passar. Porém não sabemos quando. E até que passe precisamos mais do que nunca investir em fortalecimento emocional de nossos jovens e adolescentes – sem esquecer dos adultos que acabam vivenciando os mesmos sentimentos. Necessitamos valorizar mais a convivência real, desconstruindo a importância tão grande que tem se dado às redes sociais. E para isso será necessário incentivar a conversa olho no olho, a roda de amigos, o passeio de mãos dadas, o sentar-se no sofá e com o calor da companhia de alguém ao lado aquecer-se nesses dias frios. Depressão invoca companhia real, gente de verdade ao lado e o som da voz vinda não de um alto falante, mas sim de uma boca próxima. Talvez a solidariedade de outra época, quando não éramos tão egoístas, pois dependíamos mais dos outros, seja necessária a essa época. E a discrição do passado – quando não havia redes sociais, nem transmissão ao vivo, selfie e outras manifestações pós-modernas de exibicionismo – nos deixe um pouco mais leves, despreocupados com a opinião alheia e seguros de quem somos não por likes ou número de amigos virtuais, mas sim pelo valor inerente que temos simplesmente por existirmos.

São Paulo, junho de 2019

prgimenez@prgimenez.net

10+

Pensamentos Rápidos: Quanta Gente Já Passou pelo mesmo caminho que nós…

Você já parou para pensar quantas pessoas já passaram pelo mesmo caminho que você? Alguns correndo, outros caminhando… alguns saudáveis, outros doentes… alguns passaram por alguns segundos, outros por vários anos… A verdade é que nossa vida é marcada pela passagem de várias pessoas. O que podemos aprender com isso? Correndo fiquei pensando em como as pessoas nos marcam e como as marcamos durante a caminhada da vida.

Pensamentos Rápidos… Quanta gente já passou pelo mesmo caminho que nós…
10+