“Como ele pôde fazer uma coisa dessas?” – exclamava a mãe ao saber que seu filho havia sido assassinado por um bandido que roubara seu tênis. Casos assim de fato nos levam a questionar como uma pessoa é capaz de fazer algo tão terrível por um motivo tão banal. Poderíamos questionar como uma pessoa pode ser tão fria, insensível e até maldosa. Mas a questão é que algumas pessoas, talvez acostumadas com atos maldosos ou cruéis, se acostumam e aparentemente não sentem mais sequer dor de consciência. Talvez nem pensem mais na gravidade do que fazem. A expressão que as define bem aparece na Bíblia em 1 Timóteo 4:2: “mente cauterizada.” É um estado de insensibilidade moral e espiritual tão grande que a consciência se torna inoperante, a maldade ou crueldade não lhes desperta qualquer tristeza, remorso, dor ou tristeza. Há muitas pessoas assim. A pessoa mal durante muito tempo acaba fazendo da maldade seu caminho. A pessoa violenta por muito tempo acaba fazendo da violência seu estilo de vida. A única forma de não desenvolvermos uma “mente cauterizada” é sermos rápidos em admitir nossos erros, pedir perdão por eles e não mais repeti-los. E, se por algum acaso, não enxergamos mais nossos erros como erros, então precisamos pedir ajuda e o discernimento espiritual e emocional para enxergarmos a maldade como maldade e a violência como violência e assim por diante. Não se acostume em ser mau. Não faça da violência um estilo de vida.

7+