Por Guilherme Gimenez

Que o mundo está mudando, isso todo mundo já percebeu. Reclamar ou questionar tais mudanças não levará a nada pois não se pode interromper esse processo que vai ganhando mais velocidade à medida que tecnologias novas vão praticamente nos obrigando a mudar e com rapidez. O questionamento mais próprio nesse momento, a meu ver, é o quanto estamos demorando para entender, absorver e finalmente agir em relação a essas mudanças. Entender é o primeiro elemento desse processo. Sem entender será difícil agir. A possibilidade de uma ação errada por falta de entendimento é grande. Mas ao mesmo tempo, se demora-se demais para entender a mudança, a possibilidade de erro também será grande, pois uma ação retardada pode chegar quando outras mudanças estão acontecendo e precisam de diferentes interações. O processo de entendimento deve ser profundo, mas também rápido. Possivelmente em uma época de tantas mudanças nunca nos sentiremos seguros o suficiente para agir, então é melhor determinar um tempo máximo para estudar o assunto e tomar as decisões cabíveis. Absorver é o processo que se segue ao entendimento. É mais ou menos “cair na real”. É perceber que a mudança tem a ver conosco e que precisamos fazer algo. Por vezes já entendemos a mudança, mas demoramos a agir porque ficamos nos perguntando se de fato devemos agir. Por vezes nem acreditamos que tal mudança nos afetará. Absorver é o processo de, tendo entendido a mudança, perceber o quanto ela mexerá conosco, nos impactará e, portanto, merece nossa atenção rápida. Agir é o último passo a ser dado. É a última barreira a ser rompida. Tendo entendido e absorvido a mudança agora é fazer o que precisa ser feito. É tomar a decisão e trabalhar. É implementar novas rotinas, trilhar caminhos novos até então e ter a coragem de enfrentar o que for preciso.

Algumas de nossas ações aparentemente serão tomadas até de modo precipitado. Mas será uma impressão com base na velocidade que as mudanças tinham há algumas décadas. Mudanças mais rápidas exigem ações também rápidas, então não se prenda aos paradigmas da noção de tempo do passado, encare o novo paradigma da rapidez e faça suas leituras do tempo a partir delas. Tenho certeza de que você terá grandes experiências no tempo e começará a controlar sua ansiedade e ao mesmo tempo o medo de agir rápido demais. Que em meio a todas essas mudanças não nos tornemos retaguarda pela demora de agir mas sempre vanguarda tomando as decisões na hora certa.

Guilherme de Amorim Ávilla Gimenez

prgimenez@prgimenez.net

www.prgimenez.net

3+